Forza Horizon
Ficha do jogo



Forza está de regresso com um spinoff para a série, com Forza Horizon, um título da Playground Games, que coloca o jogador num mundo aberto, baseado na paisagem do estado de Colorado, nos Estados Unidos. Agora a correr em estrada aberta, Forza ganha novos horizontes, e uma nova forma de jogar. Mas será capaz de fazer algo diferente e ainda assim manter viva a chama do seu nome? Fiquem para ver.

Assim que iniciamos o jogo, somos imediatamente transportados para uma corrida, que nos apresenta a nova forma de jogar Forza. A estação de rádio mantém-nos a par de tudo o que se passa em torno do festival Horizon, que é nada mais, nada menos que um evento organizado em torno de street racing. E tal como nesse tipo de eventos, existem as habituais figuras populares, e a pessoa a bater para ganhar reputação. Agora com uma história para seguir, somos um dos 250 participantes do festival, com o objetivo de tomar o lugar da lenda dos pilotos street racing, que ocupa a 1ª classificação há já 4 anos consecutivos. Ao nosso lado vai estar também uma pessoa que estará encarregue de nos acompanhar em tudo o que precisarmos durante o decorrer do festival, fornecendo-nos dicas e informações, sobre tudo o que se passa no Colorado.

Forza Horizon vai-se descobrindo aos poucos. Á medida que avançamos na escalada até ao primeiro lugar do pódio, vamos conhecendo mais sobre o festival, sobre alguns dos rivais mais diretos, e sobre Darius Flynt, o piloto mais popular. Na série Forza original, o grande foco foi colocado nas máquinas, no tunning, e em conhecer cada curva e cada centímetro do nosso carro. Em Horizon tudo gira em torno do estilo. O estilo atrai a atenção do público, e consequentemente a atenção dos outros pilotos. A popularidade em Horizon tem relevância na forma como progredimos, por isso tudo o que fazemos, dentro ou fora das corridas, é contabilizado, e abre-nos as portas para novos eventos. Trocar tinta com outros carros, fazer razias, power slides, bater recordes de velocidade, fazer o carro voar, destruir partes do cenário, tudo irá ser somado para o nosso índice de popularidade.

Em Horizon vamos aceder a múltiplos tipos de corrida. E não serão apenas corridas contra outros carros. Vão estar disponíveis provas de velocidade, onde teremos de bater aviões, helicópteros e até mesmo balões de ar quente. As corridas serão feitas em circuitos, que serão basicamente troços do mapa fechados com barreiras, corridas ponto a ponto, onde sempre que possível terão alguma liberdade para cortar cantos, e corridas por checkpoints, onde ai sim é preciso passar por cada um dos checkpoint até ao final da corrida. Cada grupo de corridas terá um rival direto. Uma vez vencido, poderemos recolher uma das 7 pulseiras, que nos abrem novos eventos no mapa, não sendo necessário completa-los todos para ir progredindo. Pelo caminho, podemos correr contra outros pilotos que se encontram espalhados por todo o mapa, bastando para isso acompanha-los durante uns segundos no seu trajeto, para os poder desafiar para uma corrida. Espalhado pelas estradas do Colorado vão estar radares que contabilizam os nossos recordes de velocidade, e que são depois colocados online para comparar com os tempos de amigos e outros jogadores. É também possível correr contra o ghost car de outros jogadores, e bater o seu recorde de tempo. Dada a extensão do Colorado, foi colocada a possibilidade de nos transportarmos para outros pontos do mapa. Esses transportes poderão ser pagos ou gratuitos, consoante tenhamos completado as provas ou não nos outposts dos mapa. Essas provas consistem basicamente em 3 eventos, um de velocidade, onde temos de bater um recorde de tempo, um de fotografia, através do qual teremos de ir a um ponto especifico do mapa e tirar uma foto do carro que nos foi entregue, e um de stunts, no qual o objetivo é reunir um número de pontos, num espaço de tempo.

É no centro do Colorado que se situa o evento Horizon, e onde retornaremos diversas vezes para recolher novas pulseiras, comprar e vender máquinas, fazer o upgrade aos carros, e dar-lhes uma nova pintura. O catálogo de veículos não é tão preenchido como os anteriores Forza, mas dadas características do jogo, a maioria dos carros estará nas classes mais altas, agradando assim à maior parte do público que apenas quer pegar em máquinas como o Bugatti Veyron e rasgar o asfalto a mais de 400km/h. No que diz respeito ao upgrade dos carros, continua a ser utilizado o sistema de créditos para comprar peças, no entanto poderemos obter descontos, ao destruirmos placares específicos que estão espalhados pelo cenário do jogo. O tunning foi uma das partes dos jogos da série que acabou por não transitar para Horizon, o que poderá ser desapontante para alguns jogadores.

A jogabilidade foi ligeiramente simplificada para o jogo comparativamente à série Motorsport, mas continua a haver a possibilidade de abordar o jogo de uma forma mais arcade ou por um lado mais simulador, dependendo das escolhas que fizermos no campo da dificuldade do jogo. Há data desta análise, o modo online ainda não estava disponível, pelo que não nos permitiu avaliar essa vertente, porém as funcionalidades disponíveis offline, antevêem um sistema que partilha algumas funcionalidades com o Autolog da Electronic Arts, onde estaremos em contacto permanente com tudo o que os nosso amigos fazem. É no entanto possível ver os diversos modos de jogo disponíveis para jogar online. A destruição dos veículos continua a ser visível, chegando a perder certas partes nos acidentes, mas não irão afetar a performance do carro.

O grafismo do jogo é dos melhores, senão o melhor já visto num jogo de corridas de mundo aberto. O fino detalhe dos veículos, um ciclo de noite e dia, uma paisagem de fazer cair o queixo, e um festival que vive dia e noite em concertos e eventos radicais, criam um ambiente visualmente impressionante. Porém, dado que o jogo é baseado num local real, quebra a possibilidade de haver mais diversidade na passagem entre as várias zonas do mapa, ficando nesse aspeto um pouco aquém face à concorrência de outros jogos do mesmo género. Existem ainda assim vários tipos de terreno sobre os quais podemos correr, não apenas asfalto, mas também terra solta ou terra batida, o que é uma novidade para a série Forza. Apesar de poder assim entrar no campo do Rally, a jogabilidade não é exaustivamente diferente, como em jogos da especialidade. É no entanto uma novidade bem vinda, que foi muito bem integrada no contexto do jogo, e dá ao jogador mais variedade.

Horizon foi criado por pessoas intimamente ligadas aos jogos de corridas, que trabalharam em estúdios de renome como a Codemasters, a Criterion, e a já extinta Bizarre Creations. Não é por isso de estranhar que Forza Horizon tenha tudo o que é preciso para correr com estilo, e não deixar o jogador suspirar até à última corrida. Não tendo o maior mapa dos jogos de corrida em mundo aberto, o jogo contém suficiente diversidade a nível de entretenimento, para nos manter durante muito tempo a regressar ao estado do Colorado. O jogo herdou muito dos seus antecessores, e surpreendentemente não foram feitas muitas concessões para colocar Forza num mundo aberto. Os upgrades são tão profundos como em Motorsport, e a opção de voltar atrás no tempo também continua disponível. Na verdade, Forza Horizon apenas peca pela diversidade visual, e por omitir as câmaras panorâmicas no replay das corridas, que poderiam dar uma melhor noção da verdadeira escala do jogo. Horizon é um excelente exemplo de como dar um novo rumo a uma série, mantendo tudo o que fez dos jogos anteriores um sucesso.

Componente Pontuação
Gráficos 9.0
Som 10.0
Jogabilidade 9.5
Longevidade 10.0
Dificuldade 7.0
Nota Final 9.0
Ver mais informações sobre o sistema de pontuação


22 Outubro 2012 | gestor
  Voltar

Comentários

Please Login to comment.